O comércio eletrônico gera bilhões de dólares em vendas, através de uma variedade de indústrias: bens de consumo embalados, vestuário, saúde, etc. Ele conecta consumidores com necessidades especiais para fornecedores de serviços ou produtos. A criação de um negócio em torno de um e-commerce é uma grande oportunidade para gerar maior renda, mas ao mesmo tempo, apresenta desafios maiores. Nenhuma empresa é fácil, e menos ainda uma que envolve produtos ou serviços, tecnologia, mercados dinâmicos e estratégias de preços. Mesmo assim, os passos para conquistar sucesso no comércio eletrônico estão mais claros do que nunca. Neste artigo, falaremos sobre um passo essencial: descobrir quais os produtos vender e por quê.

comércio eletrônico quais produtos vender online

As diferentes fases do comércio eletrônico

Se analisarmos os mercados mais avançados, como o americano, podemos detectar padrões de repetição que são reproduzidos em outros países que adotaram o comércio eletrônico como um modelo de crescimento econômico.

Fase 1: Comércio eletrônico emergente. Os usuários não estão cientes ou têm uma certa rejeição dos métodos de pagamento on-line e só compram em lojas seguras e conhecidas. Começar é difícil porque os sistemas relacionados (logística, pagamentos e regulamentos gerais) não estão em sintonia com o que o comércio eletrônico precisa para o seu desenvolvimento. Colômbia e Peru estão em uma transição entre esta fase e a próxima.

Fase 2: Comércio eletrônico está no mercado há alguns anos. Métodos de pagamento on-line são aceitos parcialmente, embora haja ainda alguma relutância. Os regulamentos locais começaram a mudar para promover o comércio eletrônico e os usuários estão reagindo positivamente a descontos nas lojas on-line. Sites de desconto são muito populares. Alguns sistemas de logística, que permitem o transporte de produtos de uma forma relativamente segura, estão estabelecidos. Chile, Brasil e Argentina estão atualmente nesta fase, movendo-se rapidamente para a terceira.

Fase 3: O comércio eletrônico é amplamente aceito e faz parte da vida diária. Os métodos de pagamento são massivamente aceitos e as regulamentações têm permitido uma concorrência crescente e o aparecimento de novos agentes no mercado. Os sistemas de logística e regulamentos em geral estão funcionando. Isso permite que as pessoas comprem maciçamente na internet com uma maior variedade de produtos diferentes à sua disposição. Com estas fases em mente, você deve primeiro definir qual delas seu país pertence no que diz respeito ao comércio eletrônico. Se você está apenas começando e os usuários não estão confortáveis usando métodos de pagamento on-line e preferem operações mais seguras, o produto ou serviço deve levar essas variáveis em conta. Produtos com desconto ou em categorias que podem oferecer uma diferença grande de preço devido à sua estrutura menor de custos, são uma alternativa válida. Por outro lado, se o seu mercado local é mais avançado e não há muita relutância em usar métodos de pagamento virtuais e os sistemas de transporte funcionam a um custo decente, o leque de produtos se amplia. Você pode vender roupas, acessórios, cosméticos, etc. com um menor risco. A questão agora é: a qual fase seu país pertence?

Comércio eletrônico é local

Muitas empresas começando com comércio eletrônico já tentaram fazer seu negócio crescer através da abertura de seus sites para outros países do continente. Este é um desafio interessante, mas falha na maioria das vezes por uma razão muito simples: cada mercado é diferente de uma forma cultural, em sua regulamentação e na fase de comércio eletrônico que estão atualmente. Espera-se que, em 2018, o comércio eletrônico vai superar a marca de US$ 100 milhões na América Latina, um aumento de 177% em relação a 2014. Este é um número muito tentador para lojas online em todo o continente, mas o desafio reside em estar fortemente estabelecida em uma configuração local e, só então, analisar qual mercado mostra a maioria das semelhanças.

Pense na logística

A logística é o principal obstáculo para muitas novas lojas e empresas que querem crescer. A primeira coisa a considerar é o custo associado com logística. Na América Latina, há mercados com sistemas de logística de alto custo que não são adequados para o comércio eletrônico. Isso não permite um rápido aumento da área de cobertura. É por isso que, ao iniciar uma loja online, você deve escolher produtos de tamanhos pequenos. Isso permitirá que você obtenha mais estoque a preços melhores, que podem levar à adição de produtos de maior volume. A segunda coisa a considerar é a confiabilidade desses serviços. Alguns sistemas de logística podem oferecer um bom preço para o transporte, mas em algumas áreas somente 60% dos produtos chegam ao consumidor. Você também deve levar em conta as devoluções e os produtos que se perdem na entrega. Se 40% das entregas não são bem sucedidas, você não pode arriscar vender produtos de alto valor. Você deve escolher itens com margem maior e talvez diminuir o custo.

A questão é: Quais são as características dos sistemas de logística presentes em meu país?

A melhor abordagem é experimentá-los rapidamente e comparar resultados

Embora existam muitas dicas por aí sobre como decidir o que vender, a melhor coisa a fazer é lançar os produtos no mercado e ver como os consumidores vão responder. Hoje é mais fácil e barato experimentar e ver quais os produtos que têm uma maior aceitação. Você vai se surpreender com o que as pessoas realmente querem. Você já tem um entendimento sobre quais fatores avaliar ao selecionar os produtos para vender. Você agora está um passo mais perto de conseguir. Abra a sua loja online com carrinho de compras em um só clique com Jumpseller e o melhor: experimente gratuitamente!