Panorama atual e futuro dos métodos de pagamento cashless em Portugal

Panorama atual e futuro dos métodos de pagamento cashless em Portugal

A ideia de uma adoção em massa de formas de pagamento que não em numerário tem recebido grande interesse em várias partes do mundo, pelo que, neste artigo é abordado o ponto de situação relativamente à sua adoção em Portugal, bem como quais poderão ser os planos para o futuro.

O tema da transição para uma sociedade parcial ou totalmente cashless tem sido alvo de discussão nos últimos anos, quer em Portugal, quer em vários países pelo mundo.

Com o início da pandemia este tópico tornou-se mais premente por forma a combater a capacidade de transmissibilidade do vírus através das notas e moedas.

Nesse sentido, foram sendo implementadas ações que promovem a utilização de métodos de pagamento cashless em todo o mundo ao longo desta pandemia.


Pagamentos Cashless vs Contactless

Existe alguma confusão em relação às diferenças entre o conceito de cashless e contactless.

Os pagamentos cashless incluem todo o tipo de métodos de pagamento que não envolvam a utilização de numerário (moedas e notas), ou seja: engloba as carteiras digitais como a Google Pay, Apple Pay ou Paypal, carteiras de criptomoedas, QR Codes (ex: MB WAY), cartões tradicionais e contacless, terminais de pagamento.

Por outro lado, os pagamentos contactless incluem unicamente os cartões com o mesmo nome, contactless. Isto é, que tenham a tecnologia NFC (Near Field Communication) ou RFID (Radio Frequency Identification) que permite realizar pagamentos sem entrar em contacto com terminais, cartões e telemóveis.


Panorama Português

Segundo um estudo realizado em 2019, Portugal encontrava-se acima da média europeia em termos da percentagem de pagamentos realizados através de numerário (81% dos pagamentos em lojas físicas vs. 73% da média europeia).

Este resultado, deve-se em parte a uma faixa da população mais envelhecida e com menor apetência digital portuguesa face ao resto da Europa, pelo que, é expectável que a transição em Portugal possa demorar mais alguns anos.

Apesar disso, têm-se registado aumentos substanciais nesta área nos últimos 2 anos e que poderão contribuir grandemente para acelerar o ritmo de transição.

Um bom exemplo disso são os cartões contactless, um dos métodos cashless com crescimento mais expressivo em Portugal, que, em 2019, representava 5% do total de pagamentos com cartão, e em 2021 já representa cerca de 37%.

O uso de cartões contactless foi impulsionado pelo aumento do limite diário de transações através de cartões contactless de 20€ para 50€, por parte do estado português.

Para além disso, segundo dados recolhidos após o 2º confinamento em Portugal (15 jan - 17 mar 2021), a % de compras com métodos de pagamento cashless (neste caso, cartão contactless + MB WAY) em relação ao total das compras físicas atingiu 39%.

Este valor registou um aumento substancial face ao período anterior ao começo da pandemia (jan 2020), quando representava somente 12% do total das compras físicas.


Fenómeno das Fintech

Uma outra tendência nesta área são as fintech (plataformas com tecnologia inovadora na área financeira), tais como o Revolut, a N26 e a Moey.

Estas plataformas incluem várias funcionalidades que promovem transações cashless, tais como: a capacidade de enviar dinheiro para outras pessoas e fazer câmbio de moedas sem comissão, permitir a compra de ações e criptomoedas que depois podem ser usadas como moeda para pagamentos com os seus cartões (promovendo assim o uso generalizado de moedas virtuais como a Bitcoin).

Portugal tem-se tornado num dos mercados mais atrativos na Europa para estas empresas, sendo que 30 fintechs portuguesas já conseguiram captar, no total, mais de 275 milhões de euros em rondas de investimento até 2020.


Planos para o Futuro

A criação de projetos experimentais nesta área poderá impulsionar a adoção mais generalizada dos métodos de pagamento cashless nos vários ramos da sociedade portuguesa.

A título de exemplo, a STCP e o metro do Porto desenvolveram a possibilidade de os viajantes poderem pagar pelas viagens usando os seus cartões contactless nos validadores, em vez de terem de carregar um andante.

Apesar de todas estas iniciativas e adoções por parte da população, Portugal ainda está longe de se tornar uma sociedade cashless, não tendo o governo quaisquer planos de anunciar a recusa de pagamentos em numerário em todo o país.

Algo que é compreensível, tendo em conta que os únicos países que o estão a planear fazer num futuro próximo são países como a Suécia, cujos pagamentos realizados pela população em numerário atualmente, representam unicamente 20% do total.

No caso da Jumpseller, já temos integrações com uma grande variedade de formas de pagamentos digitais e estamos sempre à procura de novos métodos de pagamento para integrar.

Comece a vender connosco!

Experimente grátis durante 14 dias. Não é necessário cartão de crédito.