Começar a vender online tornou-se cada vez mais necessário para as empresas. Lojas ou pequenos comerciantes que se esforçavam para promover os seus produtos junto a um novo público têm agora acesso a um canal de vendas online para fazê-lo e também aumentar os seus rendimentos.

Para os clientes do Jumpseller, criar a sua loja online é fácil, rápido e não apresenta muitas dúvidas. Requer apenas uma pessoa, ou pequena equipa com um espírito empreendedor, administrando e processando as ordens de compra de cada loja.

No entanto, um dos aspetos mais importantes do processo de venda em e-commerce, é a escolha do gateway de pagamento. A complexidade e a falta de conhecimento acerca dos distintos gateways e formas de pagamento disponíveis em cada país aumentam quando as empresas consideram vender para além fronteiras.

gateways de pagamento

Este artigo dá uma visão geral sobre as alternativas no universo dos métodos de pagamento em diferentes regiões do mundo, realçando as diversas maneiras de fazer negócio online em geografias distintas.

Portugal

Em Portugal, como país europeu, existe um acesso generalizado à banca. O acesso ao crédito não é tão comum como nos Estados Unidos e, consequentemente, o pagamento via cartão de crédito está longe de ser o método de pagamento favorito de todos.

O facto de termos uma rede interbancária bem desenvolvida habituou-nos a efetuar pagamentos de serviços e compras directamente em qualquer Caixa Multibanco, através das “Referências Multibanco”. Sistemas similares existem noutros países mas não tão bem integrados com as entidades bancárias como o português. Para uma loja online poder emitir e gerir estas referências terá de contratar um serviço integrado com a SIBS/Redunicre, como o da portuguesa EasyPay.

A transferência bancária simples, até hà pouco tempo grattuita, continua a ser aceite na maioria dos negócio online - inclusiveé nos sites de grandes cadeias de retalho. No entanto, contrariamente aoà diferença do pagamento com cartão de crédito ou referência multibanco, o comerciante terá de manualmente validar a transacção. Não existe uma notificação automática de que o pagamento foi processado.

A Europa

A Europa é um mercado de pagamentos eletrónicos diversificado. O uso de cartão de crédito é cada vez mais popular, mas muitos clientes ainda preferem pagar com cartões de débito e usar serviços bancários em tempo real, em que cada cliente é redirecionado para a sua conta bancária online para confirmar o pagamento .

França

A rede Carte Bleue, em França, opera cartões de débito que são responsáveis ​​por 85% de todas as transações de e-commerce. Estes cartões, operando fora das gigantes redes VISA e MasterCard, são aceites pela generalidade dos comerciantes tradicionais e online, funcionando como um substituto aos cartões de crédito.

Países baixos

Nos países baixos, os bancos decidiram associar-se ao sistema de pagamentos iDeal, permitindo aos seus clientes deixar de lado os cartões de plástico e efetuar pagamentos diretamente desde as suas contas bancárias online. O iDeal notifica em tempo real o comerciante da falha ou êxito do pagamento, permitindo automatizar o fluxo de compras. Mais de uma em cada duas compras na Holanda é concluída desta maneira.

Suécia

De se lhe tirar o chapéu, é o sistema que criaram e usam na Suécia e que agora se está a expandir a outros paises nórdicos e centro-europeus. Processando cerca de 40% de todas as compras de e-commerce no país onde foi fundado, a Klarna funciona de forma diferente do habitual: para se efetuar uma compra, o cliente apenas se identifica como utilizador da Klarna - usando simplesmente o seu email - ficando assim confirmada a transação. A Klarna, tratará de efetuar o pagamento ao comerciante depois da notificação da boa receção da encomenda por parte do cliente. É um sistema baseado na confiança mútua entre os três atores, garantindo a máxima proteção para o comprador.

EUA

Nos EUA, os cartões de crédito são a forma de pagamento por excelência. Quem tem conta no banco, tem, por definição, acesso a crédito. Deste modo tudo é mais standard, e os sistemas de pagamentos eletrónicos giram em torno de processar cartões de crédito. Assim sendo, é cada vez mais popular o sistema de pagamento em prestações, 3, 6, 12, 24, em países como por exemplo Brasil (“parcelamento”) e Chile (“cuotas”). Ao fazer a compra, já podemos definir durante quantos meses a vamos estar a pagar - quase sempre com juros, claro.

Brasil e México

No entanto as américas são um grande e díspar continente, e nem sempre o acesso ao sistema bancário é tão difundido como nos EUA. Por quase todos os países, sendo generalizado no Brasil e México, é possível escolher fazer pagamentos em dinheiro nos sites de vendas online. No ato da compra, a loja online fornece um código para pagamento. Este código poderá ser pago, mais tarde, em lojas de conveniência, farmácias, grandes super-mercados e bombas de gasolina que tenham um terminal de vendas (POS) ligado ao sistema bancário.

No Brasil, este código de barras, é emitido no chamado “Boleto Bancário”, que é um documento cujo pagamento poderá também ser feito fisicamente em caixas eletrónicas, agências bancárias ou e-banking. Empresas Portuguesas à conquista do mercado brasileiro poderão usar a EasyPay Boleto.

São soluções cujo pagamento é mais trabalhoso no entanto permite a qualquer pessoa - muitas vezes sem conta bancária - fazer compras online.

Como vimos, as realidades de pagamento online diferem muito de acordo à cultura e economia de cada região. As tecnologias e processos de pagamento online foram adaptando-se ao mercado que serviam, permitindo-lhes assim tornarem-se os mais populares e bem sucedidos.