Janosch Moldau, um cantor e compositor da Alemanha, com músicas tocadas em toda a Europa. Ele já publicou quatro álbuns de estúdio e muitos singles, todos dos quais chegaram no topo das paradas musicais alemãs e europeias. Ele já fez turnês na Europa e na Rússia e tem trabalhado com muitos grandes nomes da cena eletrônica pop.

Como o cliente fiel que Janosch Moldau é, tivemos a oportunidade de entrevistá-lo, enquanto ele se prepara para seu novo álbum de remixes "Ghost Tracks".

Janosch Moldau

Ser um artista é um sonho para muitos, mas também pode ser um risco grande, quando começou o seu interesse pela música e quando começou sua carreira como músico?

Eu sempre fui músico. Acho que desde a minha infância, a música tem sido a minha verdadeira paixão. Minha mãe tinha uma grande coleção de discos que realmente se tornou algo esclarecedor. Eu comecei a tocar violino logo cedo, que era um desejo mais da minha mãe do que meu. Mas eu também toquei bateria e piano em várias bandas de escola. Então foi realmente nos primeiros anos escolares que meu interesse pela música começou. Mas para mim sempre foi uma paixão, não sou um músico treinado. Para mim, a música é e sempre foi mais um trabalho emocional.

Depois da escola, comecei a trabalhar com um estúdio de gravação em Colônia, na Alemanha. Trabalhei como designer de som, então fiz vários trabalhos de estúdio para outras bandas. Fizemos gravações para as gravadoras. Principalmente ajudando outras bandas de um ponto de vista de produção. Assim como um emprego de produtor, mas do lado técnico. Aprendi muito com isso, mas isso também me fez perceber que era hora de gravar minhas próprias coisas. Eu sempre ia para casa após o trabalho no estúdio e tentava trabalhar em minhas próprias músicas, e em 2005 lancei meu primeiro disco, "Redeemer".

O álbum Redeemer está disponível na loja de Janosch Moldau. Foi gravado durante um período de 18 meses em seu estúdio em casa, um álbum cheio de intimidade e silêncio.

Onde ou o que inspira você?

Eu não sou um compositor que se senta com um papel e começa a escrever sobre temas ou histórias. Eu costumo tocar acordes de guitarra ou teclado, e depois começo a criar uma canção. Mas acho que tenho que estar em um determinado estado de espírito, é difícil de explicar. Eu me inspiro nos anos 80, religião e misticismo cristão. Então acho que minha inspiração é um monte de influências juntas. Eu tento ser totalmente aberto em minhas canções e costumo escrever muito sobre religião, porque acho que a religião está profundamente ligada ao amor e todas minhas músicas são baseadas em uma interminável "canção tema de amor"... De qualquer forma... Eu escrevo muito sobre emoções e tento ficar longe da política e outras coisas. Nós cantamos muito profundamente e se eu não estou nisso com meu coração, eu não consigo cantar.

Artista favorito, quem você gostaria de sair e levar para tomar uma cerveja?

Haha bem, eles estão todos mortos. Mas acho que tenho que dizer Hildegard Knef, uma grande cantora e compositora da Alemanha. Uma das grandes divas das antigas. Na verdade, ela nasceu na mesma pequena cidade que eu.

Ser um músico toma muito tempo, o que você faz em seu tempo livre?

No momento, devo dizer que eu não tenho muito tempo livre, na verdade. Com a turnê e o lançamento do novo álbum, há muito o que fazer, mas você sabe, eu também tenho família, então eu tenho outras coisas que também são importantes. Eu sempre me certifico de priorizar o que é realmente importante. O trabalho toma muito tempo, mas é muito importante ter prioridades.

Eu vi que, durante sua última turnê pela Europa, você tocou no meu país, a Suécia. Como está a turnê?

Costuma ser muito estressante antes de começar, com efeitos visuais e tudo mais, porque temos que checar para que tudo esteja preparado e funcionando. Mas então quando a turnê começa, tudo fica bem. Nesta turnê tivemos uma ótima linha noturna e você tem sua cama no ônibus, acordando em uma nova e excitante cidade todos os dias.

Eu me lembro o quanto eu odiava apresentações em ensino médio e superior. E isso era só a minha turma, você fica nervoso quando sobe no palco?

Na verdade, não; o que é bom, haha. Mas eu sou muito aberto e honesto no palco, já que eu tento me abrir para o público. Acho que isso pode me deixar um pouco nervoso, às vezes. Mas isto é o que eu faço e eu realmente gosto de subir no palco na frente de meus fãs.

Você pode nos falar sobre o melhor momento em sua carreira musical até agora?

Foi um momento muito bom quando grandes bandas e bandas muito conhecidas começaram a reconhecer a minha música e perguntar se eu queria ir com eles na turnê. Isso foi incrível. Ir a lugares por toda a Europa. A primeira vez na Rússia foi também um grande e importante momento para mim. Quando o palco abriu no salão de Moscou, um sonho que nós, naquele tempo nunca pensamos que poderia acontecer, tornou-se realidade. Agora eu sonho com Tóquio.

Para outros músicos aspirantes, como você consegue contratos para viajar e fazer shows em outros países?

Temos agentes muito bons que nos ajudam, que estão espalhados pelo mundo. Na Rússia, Hamburgo, gravadoras em Berlim. Então muitas pessoas ajudam. Portanto, é possível que um dia iremos para o Japão, porque um monte boas bandas e pessoas que conhecemos estão lá. Nós esperamos pelo momento certo e não nos preocupamos muito com isso.

Nós vemos que você é muito ativo nas mídas sociais, mas o quão importante para você é ter seu próprio site e loja virtual?

É muito importante. Nós compartilhamos muito de nosso site, é como se fosse o centro dos meios de comunicação sociais. Muitas pessoas compram as música da Amazon e onde mais a indústria da música coloca os discos para venda. Mas agora, como nós temos nossa própria loja, começamos a dizer aos fãs que eles podem comprar tudo diretamente de nossa página. Mas há também um monte de lojas que têm nosso merchandising, tais como camisetas e outras coisas. No entanto, agora nós vendemos também e tentamos trazer alguns fãs para nossa loja, uma vez que se formos capazes de vender mais de nossa própria loja, podemos manter mais do lucro.

*O quão importantes são as mídias sociais para uma banda/você? *

É muito importante e você não pode ignorá-las. Você não pode ficar de fora, como um músico ou uma banda, não tem como ficar de fora.

De qual música você mais se orgulha?

Hmm, interessante. Deve ser do meu álbum mais recente, no ano passado e é chamada "Precious Life" (do álbum "Minor"). É a minha música favorita das minhas próprias...

Qual é a sua música favorita de todos os tempos?

Pergunta difícil, pois eu tenho um monte de músicas favoritas. Mas uma música que eu realmente amo é a "Sonata ao Luar", de Beethoven, que me inspira muito. É aquela com o piano que faz dududi dududi, um monte de melodias melancólicas. Tais melodias são muito importantes para mim.